quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

5 coisas esquisitas sobre mim


Tenho muitas ideias enquanto estou dirigindo sozinha, e por isso, dirijo com o gravador do celular ligado. A ideia de escrever este texto, por exemplo, estava gravada em um arquivo de três semanas atrás. Como se fosse uma auto-análise do meu comportamento enquanto ia da agência para casa. Coisa de gente esquisita – ou de jornalista desmemoriada.

Procuro saber todas as pessoas que estarão no lugar que tenho – ou quero – ir. Se não estou com vontade de encontrar a pessoa X, e ela provavelmente estará no lugar Y, me direciono ao lugar Z. Ou fico em casa, escrevendo textos esquisitos como este e lendo livros. Não sou uma boa stalker, então muitas vezes essa mania de ser controladora social dá muito errado. Aí, eu não esqueço nunca de levar um blush na bolsa – ninguém quer parecer pálida para uma pessoa X. E caso a pessoa X aparece de repente no lugar Y, eu sorrateiramente finjo que estou no celular. (Ensinarei melhor essa técnica qualquer dia desses...)

Todo mundo sonha três a quatro vezes por noite. Mas o normal é lembrar de um ou dois sonhos. Eu lembro de TODOS. Tipo, todos. Desde pequena é assim. Em noites de dez horas de sono, então, é um caos. E geralmente, quando eu sonho que briguei com fulano, não aguento nem olhar na cara do fulano como se nada tivesse acontecido. Então se eu fiquei chata do nada, e você não sabe porque, é só o sonho. No dia seguinte passa.

Não como nada de porco. Sou judia, então é basicamente por uma questão religiosa. O mais engraçado é a cara que as pessoas fazem quando eu nego bacon. Em compensação eu como muito chocolate. Não sei se bacon é tão gostoso quanto chocolate e vice-versa. Mas vale, ?

Tenho pânico nível 5 de elevadores. De qualquer tipo, que faça qualquer barulho. Desde criança, por culpa de um prédio que morei, que os meus vizinhos paravam o elevador nas divisórias dos andares. Eu ficava no fundo, suando as mãos e rezando para não cair. Nesse caso, o celular também sempre funciona quando entro com algum desconhecido. Uso também a tática de olhar para o teto. E dei a maior sorte, que o da agência tem televisãozinha mostrando a cotação do dólar. Eu penso assim: se eu morrer, pelo menos morri bem informada.

7 comentários:

  1. Não perde muita coisa não comendo bacon, é gorduroso...
    Judia? tenho admiração por esse povo, já gostava de ti agora gosto mais ainda.

    Sabe, tenho problemas com sonhos, sempre me abalaram demais, pra mim, dormir não é descansar como as outras pessoas.
    Uma hora dessas crio coragem e escrevo sobre isso no meu blog.

    Espero sua visita, escrevo e posto fotos e coisas do meu dia a dia, caso se interessem.

    ResponderExcluir
  2. Vou usar a tática do gravador. Uma ideia muito boa.

    ResponderExcluir
  3. Eu não li, nem fiz, mas talvez isso ajude: http://super.abril.com.br/testes/seus-sonhos-dizem-voce-598928.shtml

    ResponderExcluir
  4. A do celular eu manjo também hein... E me livra de altas inconveniências. Nos próximos posts, farei uma apresentação de slides explicando a técnica ninja hahahaha!

    ResponderExcluir